Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 -

O blog é uma extensão da cobertura sobre tecnologia e internet publicada na Folha.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Personagem de “Metal Gear Solid 5″ é um exemplo de como não se vestir para a guerra

Por Anderson Leonardo

Biquíni e meia-calça rasgada: esse é o traje de Quiet, uma das personagens de “Metal Gear Solid 5: The Panthom Pain”, game em desenvolvimento para PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One.

Para uma sniper envolvida numa guerra, as peças que ela usa não têm nada a ver com proteção. Afinal, que mulher iria vestida assim para um campo de batalha, onde qualquer tiro ou facada pode ser letal?

Modelo da personagem Quiet, de “Metal Gear Solid 5: The Panthom Pain” | Divulgação

Na quinta-feira (5), o criador de “Metal Gear”, Hideo Kojima, disse numa série de postagens no Twitter que os personagens do novo jogo da franquia estavam sendo remodelados para ficarem “mais eróticos”, a fim de encorajar o cosplay e a venda de bonecos.

“Tenho pedido ao Yoji [diretor de arte do game] para fazer os personagens mais eróticos, e ele o fez bem. Recentemente tenho feito personagens dessa forma.”

“O alvo inicial é fazer com que vocês queiram se vestir como eles ou fazer com que os bonecos vendam bastante.”

“Queridos amigos cosplayers, [penso em] algo assim, por exemplo.”

Depois da polêmica que causou, Kojima se retratou, dizendo que a palavra que devia ter usado em inglês era “sexy”, em vez de “eróticos”. Ele também afirmou que queria destacar uma característica única de cada personagem, já que “há poucos diálogos” durante a história.

No caso, Quiet (que recebe esse nome por ser muda e se limitar apenas a gritinhos e gemidos) parece ter sido escolhida para ser um símbolo sexual.

“Fiquei surpresa quando vi os trajes da Quiet num primeiro momento, é claro”, contou a modelo holandesa Stefanie Joosten, que serviu de base para a personagem. “Mas acho que combina com o universo de Metal Gear. Não acho que tenho permissão para falar muito disso, mas o Kojima tem seus motivos  para decidir por que a Quiet veste o que veste.”

P.S.: Sobre essa discussão, ler “Cansadas de estereótipos negativos, mulheres querem tratamento mais justo nos games“.

Blogs da Folha