Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 -

O blog é uma extensão da cobertura sobre tecnologia e internet publicada na Folha.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

‘Amor e traição’, um texto do criador do antivírus McAfee

Por Yuri Gonzaga

O americano John McAfee, 67, fundou a McAfee em 1987, cerca de 23 anos antes de negociá-la por US$ 7,7 bilhões com a Intel –empresa que hoje controla a firma de cibersegurança.

Desde 2008 um residente de Belize, McAfee diz estar sendo perseguido por políticos e militares locais –o que vem rendendo boas histórias. Em seu recém-nascido blog, o aposentado rebate críticas que recebeu de internautas, sobre seu envolvimento com mulheres belizenhas.

Abaixo, a tradução do post intitulado Love and Deception (“amor e traição”).

“Muitos comentaram aqui sobre eu estar sendo usado por mulheres, ou controlado por elas e vice-versa –que estou tirando vantagem de crédulas e ingênuas mulheres. Muitos comentaram que elas estão comigo somente por causa de meu dinheiro –um fato com o qual eu tenho que concordar. Sou rico e estou vivendo em um país de extrema pobreza.

“Aqui, pais constantemente ‘promovem’ suas atraentes filhas para homens endinheirados. Essa ‘distribuição de renda’ ajuda as famílias.

“Sam [Samantha, 20, que trabalha com McAfee] pode atestar, se quiser, que não sou tolo o suficiente para acreditar que muitas mulheres jovens poderiam amar um homem de 67 anos de idade. Ser amado não me interessa muito. Amar sim. Eu realmente amo, não com um desejo de controlar ou de possuir, mas com compaixão e empatia.

“Preocupo-me imensamente com muitas pessoas. O que sentem ou deixam de sentir por mim é assunto deles.

“Antes de tornar-me íntimo de Sam, expliquei para que não esperava que ela me amasse. Apenas esperava honestidade.

“Ela me diz muitas vezes por dia que me ama –e eu sorrio. Eu entendo o gesto como gentileza, já que as palavras são ditas gentilmente. Não acredito que alguém possa conhecer o coração de outra pessoa.”

SANIDADE

O repórter da revista “Wired” Joshua Davis relata um episódio em que McAfee “brincou” de roleta russa com ele, com um revólver carregado (acontecimento posteriormente confirmado pelo próprio empresário à rede CBNC), o que leva o “Guardian” a levantar um questionamento sobre a condição mental de McAfee.

Ébrio ou não, McAfee é hoje um dos mais empolgantes personagens do mundo da tecnologia –ou que já pertenceram a ele.

Blogs da Folha

Mais acessadas

Nada encontrado

Categorias

Publicidade
Publicidade
Publicidade