Durante torneio, robô convence humanos de que é mais humano que humanos

Por Yuri Gonzaga
Robô vencedor, UT^2 encara oponente no “Unreal Tournament 2004″

Um gamer-robô criado por pesquisadores da Universidade do Texas venceu nesta semana a primeira edição do concurso BotPrize de inteligência artificial, sediado na cidade de Austin, ao convencer juízes de que agia de maneira mais semelhante a um humano do que metade dos humanos com que foi comparado durante um teste cego.

A competição foi bancada pela desenvolvedora 2K Games e se deu dentro do jogo “Unreal Tournament 2004″, dentro do qual os robôs que competiam enfrentaram uns aos outros, além dos jogadores de carne e osso –sendo que estes últimos eram os próprios jurados.

Os gamers humanos usaram uma ferramenta para rotular os oponentes como entes virtuais ou reais. O robô vencedor, chamado UT^2 e criado pelo time do professor Risto Miikkulainen, foi quem ganhou mais etiquetas que o classificavam como uma pessoa.

O UT^2 foi taxado de “humano” 52% das vezes, enquanto seres pessoas propriamente ditas ficaram com nível médio de semelhança a comportamento humano de meros 40%.

“A ideia é avaliar o quanto somos capazes de criar jogadores virtuais (bots) que se comportam como gente”, disse Miikkulainen ao site “EurekaAlert!”.

O professor levará para casa US$ 7.000, assim como o pesquisador romeno Mihai Polceanu, que ficou empatado em primeiro lugar com os mesmos 52% de “humanidade”.

É um resultado entusiasmante –para não dizer assustador.