Microsoft apresenta excelentes jogos, mas faz conferência morna

Por Alexandre Orrico

Usher na E3

Nada sobre o “Xbox 720″, ou “Xbox 8″, como alguns sites e blogs especializados estão chamando o novo videogame da Microsoft, por causa de uma suposta integração ao Windows 8.

Tudo bem, nós sabíamos que a chance de anúncio de um novo console era bem baixa –a própria Microsoft disse que não anunciaria novo hardware.

Mas a empresa que produz o videogame mais velhinho da atual geração (o Xbox 360 é de 2005) fez, no geral, uma apresentação morna. Todos os grandes jogos que apareceram na exibição já eram conhecidos e até mesmo algumas das novidades apresentadas (como o Internet Explorer para Xbox) já eram especuladas e não são nenhuma grande emoção.

Aliás, supresa para mim, só uma coisa: a presença do cantor Usher no palco da empresa, cantando e dançando para apresentar o jogo “Dance Central 3″, prato cheio para quem gosta de mexer o esqueleto na frente na TV.

Para equilibrar a falta de novidades impactantes, a empresa carregou nos trailers e na demonstração do gameplay dos jogos.

“Resident Evil 6″ e “Call of Duty: Black Ops 2″ pareceram extremamente bem acabados e produzidos. Mas eu me impressionei em especial com “Splinter Cell: Blacklist”, que mostra um Sam Fisher (o protagonista) muito bem integrado com o ambiente e com mecânicas de jogo bem promissoras. Dê uma olhada no trailer abaixo:

[youtube FB5SClM5DF4 nolink]