Blog de Tec

Nada que é digital nos é estranho

 -

O blog é uma extensão da cobertura sobre tecnologia e internet publicada na Folha.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Controle de videogame vs. mouse e teclado: quem ganha?

Por Alexandre Orrico
Cena do game "Call of Duty: Modern Warfare 3"

Ontem à noite, em uma partida de “Call of Duty: Modern Warfare 3″ no Xbox 360, morri atropelado pelo tanque do meu próprio exército. Meio perdido no tiroteio, entrei na frente o bicho sem querer e pronto, morri esmagado. Tem algum fim mais vergonhoso para um soldado?

Uma dúzia de mortes variadas depois, me lembrei que em “Modern Warfare 2″ eu era bem melhor. Terminei o jogo no modo mais alto de dificuldade e só morri muitas vezes quando completei o jogo no modo mais alto de dificuldade. A diferença? Joguei MW2 no PC.

O mesmo aconteceu com outros jogos: zerei “Mass Effect 2″ no PC. Já o “Mass Effect 3″ joguei no Xbox -neste último, sou tão ruim que, no modo multiplayer, meus companheiros se recusam a me ressuscitar (alguns até metralham meu corpo inerte, em vingança). Vergonha nº2.

No recente “Max Payne 3″, a mesma coisa. No Xbox eu tomo uma surra dos bandidos brasileiros. No PC, jogando Max Payne 1 e 2, lembro de aniquilar rapidamente meus inimigos com headshots certeiros. Cheguei à conclusão de que a culpa é do controle.

Mouse+teclado é melhor para jogos de tiro em primeira pessoa do que controles de consoles, seja de PlayStation 3 ou Xbox 360. O mouse também é melhor em jogos de tiro em terceira pessoa, como eu citei, embora não seja em todos os casos (mas na esmagadora maioria).

Achei que era questão de costume, que com o tempo eu poderia ter o mesmo nível de habilidade do mouse no controle. Mas é impossível.

Os controles levam vantagem nos jogos de futebol, corrida e RPG. Mas será que alguém por aí que acha que jogar Mass Effect, Max Payne ou Call of Duty é melhor no controle do videogame do que no teclado e mouse?

Blogs da Folha